quinta-feira, 12 de março de 2015

Um ano depois




ainda me custa acreditar que nunca mais irei ouvir, do outro lado da linha, a pergunta que me fazia sempre, antes de começarmos a conversar: Ça va mon chou?

14 comentários:

  1. um abraco bem apertado!!!!!
    e nós aqui dizemos: Ca va mon Mam´Zelle?

    (a escrita parece esquisita, mas sabes que nao tenho teclado portugues...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Saritah!

      (Na boa, dá para perceber tudinho. :) agora, diz-se: ça va ma Mam’Zelle? assim é que é. :D)

      Eliminar
  2. Sei mais ou menos o que sentes... já passei por aí... :(
    A saudade é uma palavra bem nossa, mas tão difícil de digerir.
    Beijos e força

    ResponderEliminar
  3. Já passou um ano???
    O tempo corre...
    Muita força... beijinhos....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tempo nunca pára, é certo.
      Muito obrigada.
      Beijinhos, Ella.

      Eliminar
  4. Com certeza que iria querer ser lembrada com um sorriso... não é?
    Há pessoas que não morrem, vivem dentro de nós.
    Beijinho linda...

    ResponderEliminar
  5. O tempo não cura bem pelo contrário agudiza cada vez mais a saudade, infelizmente.
    Ficam as recordções e tudo o que passaram juntas :)
    Ângela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, não cura. Nunca.
      Obrigada pelas palavras, Ângela. :)

      Eliminar
  6. Mam'Zelle Moustachita :( nem consigo imaginar o quanto deve custar...
    Um beijinho e um abraço deste lado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outro beijo e um abraço apertado para ti, Anouska. :)

      Eliminar