terça-feira, 2 de maio de 2017

Então... e eu?


Sou como os putos. Vejo uma coisa e também quero. Nada a fazer.


Fui, há bocadito, ao blogue do Manel. E vi lá isto. E, curiosidade de miúda, tive de clicar nos links que ele lá tinha.
Não percebi nada daquilo. Verdade seja dita. 
Só constatei que os membros da seita-dos-bloggers-amigos-e-com-pinta estavam a fazer a sua versão de uma suposta obra de arte, de seu nome A Senhora dos Papagaios.

E eu, apesar de ser uma blogger-excluída [porque de pinta não tenho nada e amigos muito menos], também quis entrar na brincadeira corrida ao prémio.
Esta cena dá direito a prémio, não dá?
Espero bem que sim. 
É que eu não estive a gastar todas as minhas folhas de cor e a recortar e a colar aquelas cenas todas para, afinal de contas, não ganhar nada. Era o que faltava.

Bem, chega de converseta fiada.
Aqui fica o meu contributo. A minha participação. Ou lá o que lhe queiram chamar.





Consta que o original é este.

E a irmandade-blogueira já deu à luz mais estes:
aqui, aqui e aqui e ainda mais aqui e continua aqui e por aqui.
Para além da versão do Manel que já referi ali em cima.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

quarta-feira, 26 de abril de 2017

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Diz que pela boca morre o peixe


Ora bem. 
Sempre achei uma fantochada de todo o tamanho aqueles posts a informarem o pessoal, com dias ou semanas de atraso, do aniversário de um determinado blogue.
Ai e tal, passou-me completamente ao lado.
Ai e tal, ando tão atarefado/a que quase nem tenho tempo para respirar.
Ai e tal, a minha vida é tão acelerada e preenchida que nem dei pelo dia chegar.

Para mim, eram tudo balelas. 
O blogger em questão não se esqueceu coisíssima nenhuma que o seu menino acabara de completar mais um ano de vida. Lembrava-se sim e muito bem. Agora, o certo é que é sempre bom mostrar um tico de distanciamento em relação a estas coisas. Confere um certo estatuto à pessoa dar a entender que tem coisas muito mais empolgantes para fazer do que se lembrar deste tipo de datas.

Eu nunca me esqueci.
Pensava nisso com, no mínimo, uma semanita de antecedência para criar um post diferente. Um post bonito. Um post comemorativo. E no dia em questão, sem qualquer tipo de atrasos, lá publicava o dito post.
Foi assim durante quatro anos.

Este ano, falhei. 
E tenho de engolir em seco.
Afinal, dá para esquecer mesmo.
Eu esqueci.

E não é por andar demasiado atarefada.
Não é por ter uma vida acelerada. Muito menos por ter uma vida preenchida. [ando insatisfeita, sim. mas, isso, já devem ter percebido os mais atentos.]
A verdade é que me passou completamente ao lado. Mesmo.
E porquê? Porque este blogue já não é o que era. Eu já não sou o que era. Tão somente isto.
E, pensando bem, talvez gostasse mais da Mam'Zelle daquela altura. Da Mam'Zelle que, ao longo de quatro anos, não deixou passar o dia dois de Abril em branco.

Parabéns, casebre, por estes teus cinco anos de existência. Apesar de tudo, ainda gosto bem de ti.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Psssssssst... Oiiiiiiiiiii, maltinhaaaaaa?!


Era só para vos desejar...



uma PÁSCOA FELIZ.

Daquelas mesmo boas,
cheias de amêndoas,
de folares,
de ovos de chocolate,
e de coelhinhos (/as).
Miam!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Das coisas simples #9


pão de milho e sementes de girassol * queijo Brie * tomate * cornichons



nota: já não como deste pão faz tempo. a modos que acabei por enjoar. mas~, um dia destes, volto a experimentar.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

God save Mam'Zelle


É oficial.
De hoje a um mês, estarei em Londres há um dia.

Ainda não comecei a preparar a mala. Que uma estadia de cinco dias pede pouca coisa e viagens em voos low cost também.
Já comecei, no entanto, a pensar no que irei eu fazer por lá.  
Big Ben e London Eye. Ok.
Mas para além disso? 



E é aqui que entram vocês, maltinha fixe do meu coração.
Quem já foi a Londres que se chegue à frente para me dar dicas e me sugerir sítios a não perder.

Estou a contar com a vossa ajuda.
Thanks! get out now...

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Que nem patinhos, again and again


Até a pessoa mais directamente interessada e indirectamente visada me veio pedir justificações para isto. Vejam bem.


Mais um ano, a caírem que nem patinhos.
Gosto de vocês assim. 
De todos. 
Um tico mais daqueles que, valentes, deixam marca da sua passagem. 
Porque só assim, recebendo algum feedback, é que esta coisa da blogosfera tem a sua graça.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Estou feita


O pai da Bolachita liga.
Ela não quer falar com ele.
Ele insiste.
Ela ri-se, mas continua sem falar.

- Tu és uma marota...
- Não. Eu não sou mamota. Sou uma pincesa.
- És o quê?
- Uma pincesa. Uma pincesa Cindelela. Com o vestido.
...




Já vos tinha dito que o que eu queria mesmo era um rapaz, não já?
Pronto.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sempre quis e agora tenho #2


Uma casa com a fachada pintada na minha cor preferida.

Pensei que nunca seria possível. Afinal estava enganada.
[Ainda posso receber uma multa valente por causa desta brincadeira. Mas isso agora não interessa nada.]



nota: o #1 desta espécie de rubrica foi publicado há mais de um ano e já estava nos rascunhos há meses antes de o publicar. tenho mais uns oito, todos escritos na mesma altura, há mais de ano e meio, quando andava toda entusiasmada com a casa nova. o entusiasmo passou (apesar de continuar a gostar muito desta casita). e o certo é que o conteúdo dos posts continua a ser verídico. 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Para lá da conta


Simplesmente,
é assim.
Tem sido assim.
Desde aquele dia,
em que ouviste o que ansiavas.

E será assim,
simplesmente.
Daqui para a frente.
A cada dia.
Até ao fim de todos os mundos.
Os que existirem,
e os que se fantasiarem também.

quarta-feira, 22 de março de 2017

O Mac que se cuide #5








nota: este post também se poderia chamar "Vamos lá continuar a esvaziar a caixa de rascunhos".

terça-feira, 21 de março de 2017

E é isto #25



A segunda opção não sendo viável, tenho-me entretido com as outras duas.
Vou dando, no entanto, mais atenção à última.
É que a primeira, parecendo que não, cansa que me farta.
E, para me cansar, já basta o resto.





Nota-se muito que já tive melhores dias?
Espero bem que não, só porque - supostamente - estou em modo terceira opção.

terça-feira, 14 de março de 2017

Salteadores selectivos


Há beijos que nos tiram tudo.
Não é só o ar. Não é só o fôlego.
Despem-nos a pele, esvaziam-nos o corpo, aprisionam-nos a alma e sugam-nos o coração.
Depois, quando terminam, devolvem-nos, aos poucos, tudo aquilo que nos roubaram.

Ou talvez não.
Que não sei mais por onde pára a minha alma,
e já nem falo do coração.

sexta-feira, 10 de março de 2017

(s)em movimento


Tenho a vida parada.

Ando cansada destes meus dias insípidos. 
Estou exausta de os sentir tão sossegados.

Quero acordar de manhã, sem ser por obrigação.
Preciso de um mundo que me desperte.

Quero quebrar este meu cerco.
Preciso de um mundo que me liberte.

Quero explorar o desconhecido.
Preciso de um mundo que me (des)encaminhe.





Tenho o meu mundo demasiado estagnado.
Preciso de o pôr, de novo, em movimento.

terça-feira, 7 de março de 2017

Já são as minhas melhores amigas


e ainda nem fomos passear juntas.


Não, não estou a falar de gajas. Não sou muito dada a ter/fazer amigas. Cenas cá minhas.
Estou a falar de trapos. 
A sério. 
Juro. 
Parece mentira, não parece? 
Mas é tudo verdade. 
Eu, que não ligo a essa cena da moda e afins, estou aqui a fazer um post inteirinho dedicado a uma peça de roupa que comprei há pouco.
Leram bem. É assim mesmo.

E o que será?, perguntam vocês, alminhas curiosas que só visto.
Pois que estou a falar das minhas calças novas. Oh yeah.

Como já disse inúmeras vezes neste casebre, só compro roupa (e sapatos, e botas e ténis, e sandálias e afins*) nos saldos. Quando já estão a dar as últimas. Para terem, pelo menos, setenta por cento de desconto.
Pois bem. Nestes saldos, que acabaram a semana passada, comprei algumas cenas. Mas o que mais gostei foi mesmo de um par de calças que encontrei nos últimos dias. Vi-as, junto de outras peças todas diferentes. Aquilo era já mesmo restos de restos de colecção. Fixei os meus olhos naquele padrão. Como eram as únicas, pensei cá para comigo, não deve ser o meu tamanho. Já estava quase a chorar quando, olhando para a etiqueta, percebo que era mesmo um XS. Maravilha.

Eu sei que a maioria da malta não vai gostar. Sei disso muito bem. E é também esse aspecto que me encanta naquelas calças. Não é o tipo de peça que toda a gente gosta. Muito pelo contrário. Mas têm tudo a ver comigo. Parece o traje do domador de leões. Ou do malabarista. Ou, então, da palhacita do espectáculo.
Resumindo e concluindo. Parecem - e desculpem-me a falta de modéstia - calças feitas especialmente para mim.


Acredito que não vá querer vestir outra coisa, nesta primavera que se avizinha.






Lindas, lindas, lindas.






* também comprei muita coisa para os pés. muito mais cenas do que de costume. se estiverem curiosos, é só dizer, que sou capaz de mostrar também aqui. estou numa fase exibicionista. é de aproveitar.


nota: não. a Mam'Zelle não é patrocinada pela Zara. nem quer. obrigada.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Petite virée coups de coeur dans mon intérieur #3







[Ter, na altura das obras, toda a gente a aconselhar-me no sentido de escolher um único pavimento por piso. Porque diz que fica mais uniforme. Porque diz que fica mais bonito. Porque diz que fica mais moderno. Quero lá saber de modernices. O rés do chão tem seis pavimentos diferentes para quatro divisões e um hall de entrada. Seis. E ainda não me arrependi de ter remado contra a maré.]

sexta-feira, 3 de março de 2017

Melhor do que comer?



Partilhar.

Partilhar uma refeição.
Feita em conjunto.
Com amor.




nota: esta foto tem mais de um ano. o post também. mas poderiam ter sido de agora. só já não fazemos bacalhau escondido na broa há uma data de tempo. e, parecendo que não, é uma falha. Das grandes.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Porque os paparazzi só se dão ao trabalho de flashar gente importante* #49













* tipo a Bolachita e eu. Evidente.


nota: de salientar - 1º. os nossos collants a fazerem pandã. lindos lindos de morrer. - 2º. os esforços da Bolachita para imitar as manias da mãe (yep. sou eu a mãe. e, sim, ainda me custa a crer. mesmo ela já tendo três anos).

quarta-feira, 1 de março de 2017

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Porque isto do mês do amor não é só ursinhos de pelúcia* e rosas encarnadas...




e já que o dito mês está quase a acabar, não se esqueçam de continuar a esbanjar amor pelo resto dos meses do ano fora. É bonito. 
E, se for com choque de pu...rpurinas, tanto melhor.






nota: como os mais atentos devem ter reparado, não estou a usar um dos meus famosos cai-cai nestas magníficas fotos. e explico já já o porquê. não foi por não ter nenhum disponível. até tinha posto uma máquina a lavar dias antes. a verdade é que estava doente. mesmo doente. mesmo muito doente. [lembram-se deste caldo verde? pronto, acho que fica tudo explicado.] e uma pessoa doente quer-se bem agasalhada. 

* o esforço descomunal que eu fiz para não usar a palavra francesa (e que também funciona em português). só para não virem para aqui todos amaldiçoar a mais bela língua do mundo.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Qual é coisa qual é ela que tanto pode ser o melhor ano do século passado como o melhor sítio de França?



[1978 - o ano em que nasci. 78 - Yvelines, departamento francês onde nasci.]




nota: yep. o mundo gira à minha volta. ainda não tinham chegado lá? e depois eu é que sou a gaja distraída? está tudo muito certo, pois então.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Histoire de pieds*






* como que uma espécie de homenagem à J (que anda desaparecida). à nossa maneira.
(e também passou a ser uma homenagem aos dias quentes que demoram a chegar. já que este post foi feito o ano passado, na melhor estação do ano.)