sexta-feira, 10 de abril de 2015

Aquelas cenas engraçadas que, a bem dizer, não têm graça nenhuma


No passado sábado, como já disse, fui à festa de aniversário da filha da minha melhor amiga. Estava lá muita gente, como é natural. Mas, se não se importarem, vou falar de duas pessoas em particular.

Vamos à primeira pessoa. 
Estava eu no meio da sala, com o meu prato de plástico na mão esquerda e o meu garfo, também ele de plástico, na mão direita a comer uma fatia de um semi-frio que estava uma delícia (a base de bolacha estava um tico dura, mas eu lá me desenrasquei), quando se chega à minha beira a mãe da aniversariante (se estão a seguir a história como deve de ser, perceberam que é a minha melhor amiga e, para facilitar as coisas, vamos supor que se chama Maria) com uma amiga e lhe pergunta: "Lembras-te da Mam'Zelle, certo?". E a moça responde, com um daqueles sorrisos enjoados típicos de gajas que têm o dom de me pôr mal disposta num instantinho, "hum... não sei... sou capaz de ter uma vaga ideia..." Eu cá respondi-lhe logo "Pois eu lembro-me perfeitamente de ti" e acrescentei com a ironia que tal situação merecia "mas não me admira nadinha que não te lembres de mim. é muito habitual as pessoas que privam comigo esquecerem-se da minha pessoa."

Passemos à segunda pessoa.
Estava eu sentada na cozinha, a dar o jantar à Bolachita, quando chega à minha beira o tio da aniversariante (irmão da Maria), com um primo e diz-lhe: "Olha, esta é a Mam'Zelle, amiga da minha irmã desde os tempos de faculdade". E o rapaz responde: "Eu sei, já não a via há muito tempo, mas lembro-me perfeitamente dela, lá em Coimbra, numa festa de anos da tua irmã, num dos primeiros anos de faculdade."

Voltemos por breves instantes, à primeira pessoa. Conheci-a na universidade, logo no primeiro ano. Era muito amiga da Maria. Saímos várias vezes juntas, com mais pessoal é certo, ao longo dos quatro anos de faculdade. Depois disso, via-a todos os anos, na festa de aniversário da Maria. E não eram festas com multidões. Umas quinze, vinte pessoas, no máximo. Só nos últimos dois anos é que a Maria não tem festejado os anos e, por isso, não a vejo desde então. A verdade é que nunca conversámos, porque nunca achei que fosse pessoa com a qual gostaria de perder o meu tempo numa conversa. Era "Bom dia", "Boa tarde". O normal entre gente civilizada.

Quanto à segunda pessoa, como ela própria referiu, viu-me uma vez, numa festa em que, por mero acaso, também estava a primeira pessoa. Nunca tive longas conversas com ele porque, como devem ter percebido, só nos vimos uma vez. E não calhou.

Agora, fico para aqui a pensar. 
É que uma pessoa tem de tirar lições de vida de qualquer fait-divers por mais insignificante que possa parecer. 
Das duas uma, ou as gajas têm propensão para a amnésia (é que não foi a primeira a não se lembrar de mim em circunstâncias muito semelhantes e, acredito, também não será a última) ou, então, em vez da expressão "memória de elefante" deveríamos usar "memória de gajo".

E é isto.

47 comentários:

  1. Quando para Eles se trata d'Elas... Lembram-se de tudiiinho! Às vezes até da roupa (se esta merecer de atenção).
    Quanto a Elas... Somos fodidas é um facto. E essa em específico, chamemos Ressabiada ;)

    Beijocas*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é que a tua leitura da coisa faz todo o sentido, Gaja? ;)

      Beijo

      Eliminar
    2. Tiro no alvo ;) pelo menos tento. É o que dá ser uma mente de gajo num corpo de gaja.

      Eliminar
    3. Eheheh! Olha que isso pode trazer-te infindáveis vantagens. Já pensaste bem? ;D

      Eliminar
  2. Seia! O queijo de Seia é tão bom.... deve ser isso, ela comeu muito queijo de Seia... foi! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahah! É bem capaz. Tem cara de quem come muito queijo, efectivamente. ;p

      Eliminar
    2. Tem de ser de Seia, senão não conta! :P

      Eliminar
    3. Ah ok. Pois… é isso mesmo que eu queria dizer. Tem cara de quem come muito queijo de Seia. ;)

      Eliminar
  3. Eu apostaria mais que a gaja se estava mesmo a fazer de enjoada, armada em carapau de corrida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, também achei. Mas fica sempre aquela dúvida… ;)

      Eliminar
  4. Eu diria antes que há gajas que deviam dar resposta à gajos e vice versa. Como sou gajo e falo a "língua" dele, ele também quis dizer "Ainda estás mais gira do que na altura!" :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz-me uma coisa, eusouassim. Quem é que te deu a missão blogosférica de elogiar, custe o que custar, as bloggers que segues?

      E, já agora, comissão por elogio, recebes? ;p

      Eliminar
    2. Ahahaha...eu acho que esse tiro foi ao lado...eu não te elogiei, apenas disse aquilo que ele quis dizer. Basicamente ele falou em "gajês" e eu traduzi. ;-)
      Ahhh...e já agora eu não elogio as bloggers que sigo...não todas. Não recebo comissão nem faço elogios à parva! Sou parvo, mas não é a mesma coisa. :-P

      Beijos

      Eliminar
    3. Tiro ao lado? Mas onde? Posso saber?
      Eu alguma vez disse que me elogiaste neste comentário? Ora volta lá a ler. Sugeri que deves ter a missão de elogiar bloggers do sexo feminino que seues. E, sim, sou gaja, por isso me incluir nesta categoria. Não me vais dizer que, até agora, nunca me elogiaste. Era o que mais faltava! ;p
      (ganhei, uma vez, mais. Só para o caso de não teres reparado… ahahahahahahahah:p)
      Muito obrigada pelos esclarecimentos. É sempre bom saber. :)

      Eliminar
    4. Voltei a ler...Mam'Zelle Moustache tem toda a razão. Pode-se ficar a pensar o que disse depois de ler o teu comentário mas de facto não o afirmas. Claro que já, não sou de me desdizer. ;-)

      (Uma vez mais parece-me claramente um exagero...mas admito, ganhaste...desta vez!) ;-)

      Beijos

      Eliminar
    5. Acho bem que o admitas. ;)
      E nada de tentar arranjar justificações para a tua precipitação. Quem se ficou a rir fui eu e o resto é conversa. ;p

      (um exagero? Vitória limpinha, isso sim! ;p)

      Eliminar
    6. Já te respondi no meu blog, uma das minhas características é ser um pouco impulsivo em situações que exigiam alguma ponderação. (Não todas, apenas em algumas específicas.) Ficaste-te a rir? Então isso é bom, alegria acima de tudo :-P

      (Eu estava a referir-me ao "mais uma vez". Foi limpinha mas não creio que tenha sido "mais uma vez")

      Beijos

      Eliminar
    7. Apenas em algumas específicas? E tens noção de que situações são essas?

      (Foi 'mais uma vez', foi. Os gajos são tão esquecidos… :p)

      Eliminar
    8. Se calhar nalgumas situações em relação ao sexo oposto...

      (Não sei porquê acho que estás a enganar-me :-P)

      Beijos

      Eliminar
    9. Eu vi logo… :p

      (Enganar alguém? Eu? Nunca! ;D)

      Eliminar
    10. Vocês são muito diferentes...e eu também n sou um gajo fácil :-P

      (Não sei se devo dar mais importância às palavras ou ao smile!!! :-P)

      Beijos

      Eliminar
    11. Hum… como assim, muito diferentes? Muito diferentes umas das outras ou muito diferentes de vocês homens? Não és um gajo fácil? A sério? :p

      (Às palavras. Sempre às palavras, claro.)

      Eliminar
    12. :-) Também são muito diferentes de nós mas eu estava a referir-me às diferenças entre vocês.
      Sim não sou. Se fores acompanhando o meu blog rapidamente te vais aperceber disso. :-P

      (:-))

      Beijos

      Eliminar
    13. Bem, se tens noção disso, percebeste (quase) tudo. ;)
      Será que já não me apercebi?

      Eliminar
    14. Para isso terias que ter lido muuuuuita coisa, mesmo mais para trás...

      Eliminar
    15. Pois… isso não fiz eu, contrariamente a uma certa pessoa… ;p

      Eliminar
  5. a 1.ª pessoa podia perfeitamente estar a ser pretensiosa e a fazer-se difícil (típico) :p

    a 2.ª pessoa pode ter memória fotográfica, estar a ser simpática, ou então marcou-lhe (o quê não sei, mas viu-te uma vez à não sei quantos anos e ainda se lembra)...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1ª pessoa – ‘típico’? mau… a meter todas as gajas no mesmo saco, é? Como é que é possível uma injustiça dessas? :p

      2ª pessoa – como assim a ser simpática? Ninguém lhe perguntou se me conhecia. Se disse que me conhecia e até referiu o sítio onde me conheceu é porque, efectivamente, se lembrava de mim, ou será que não?

      (não sabes quantos anos? Uns dezoito... por aí. E, sim, estou velha. ;p)

      Eliminar
    2. Xiiiii, 18 anos? Isso é muita panca junta, caneco! :P
      Ou então uma excelente memória fotográfica, como diz o Urso. :)

      Eliminar
    3. Então e a opção de eu ser uma pessoa facilmente inesquecível, não te passou pela cabecita? Não? ‘tá mal. ;p

      Eliminar
    4. brincadeirinha!!!!

      pois!

      ahahahahah
      Obrigado Ella e o Gato!

      Eliminar
    5. Acho bem... ;)

      Sendo assim, estamos entendidos.

      Mas eu nunca disse que o moço não poderia ter uma memória fotográfica. Não estou a ver o motivo de tanta satisfação por Ella corroborar a tua hipótese. :p

      Eliminar
    6. Mas isso quê, Ella? Tu queres é irritar-me, certo? mau… :p

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. 18 anos depois e o gajo ainda se lembrava de ti?? Isso era amor pá!!

    Deves ter roubado a atenção dele e a rapariguita não gostou, foi o que foi!! E tu nem deste por isso :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma, calma… Vou ter de repor ordem nisto que daqui a nada toda a gente acredita que a Mam’Zelle é, afinal, a Monica Bellucci e eu cá não gosto que a malta se ponha a fantasiar à toa.
      Então é assim. O dito primo só me viu aquela vez num contexto determinado e específico. Agora, acredito que, nos 4/5 anos de faculdade, se possa ter cruzado comigo uma ou outra vez, pela baixa de Coimbra (não faço ideia, não me lembro). Mais, ele é primo da minha melhor amiga. Ou seja, acredito que, mesmo só me tendo visto naquela festa de anos - há tantos anos atrás (até dói só de pensar quantos são…) – foi ouvindo falar de mim em reuniões de família e coisas do género. Isso pode ter ajudado a nunca se ter esquecido da minha pessoa, sei lá eu.
      Ou seja, não há aqui amor coisíssima nenhuma (és uma romântico-lamechas sem esperança de cura, menina S.o.l.). Até porque a Mam’Zelle não é gaja para despertar esse tipo de sentimento repentino em gajo algum.
      Espero ter-te devidamente esclarecido, S.o.l. :)

      Ahahahahah! Tu fazes com cada filme. Eu sou despistada e distraída, que sou. Mas tu vês coisas onde não as há. Pronto. ;p

      Eliminar
    2. ninguém te vai acreditar, um rapaz ficou com uma pancada por ti, só pode ;)

      Eliminar
    3. Calou, pá!
      Eu aqui a dar de mim para construir uma justificação plausível e tu a tentar dar a volta? Não há direito.

      (também tu, a achares que sou a Monica Bellucci? era o que faltava... ;p)

      Eliminar
    4. Ahahahahah... tanta justificação? Hummmm :)))

      É o amor... que mexe com minha cabeça e me deixa assim!!! :D :D

      Eliminar
    5. Só porque não quero a malta equivocada. Nunca. :)

      Ahahahahahahahahahah! Tu és demais. (e lá vou eu ter essa musiqueta brasuca na cabeça o dia todo…)

      Eliminar
  8. É engraçado como falta a parte importante nessa história.
    Conta lá, como naquela festa, já com a vela encharcada de baileys saltaste para cima da mesa, cantaste uma música ranhosa qualquer de woman e merican e ias tirando a roupa.
    Ele viu e não esqueceu, um homem não esquece facilmente os pesadelos da vida e ela ficou lixada contigo porque tu roubaste-lhe a ideia.

    (achas que o senhor da bateria é necessário? Pois, eu também acho que não)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era porreiro se escrevesses aqui por baixo e não aí ao lado.
      Sabes, carrega em "Responder", força, vais ver que consegues.

      :p

      Eliminar
    2. Picuinhas. Pfffffffffff.

      Duvido muito que alguém te ature...

      Eliminar
  9. Fazes com cada filme nessa tua cabecita frustradamente tarada. Minha nossa.

    Vê ma'zé se te tocas, pá.

    ResponderEliminar