quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Ele há coisas do caraças


Durante a gravidez, tive de ir fazer análises umas quantas vezes. Nunca esteve, em nenhuma das vezes, mais de uma pessoa à minha frente. Sendo que, regra geral, não estava mesmo ninguém. Na categoria de grávida, tem-se prioridade. Que é como quem diz, passa-se à frente do resto do pessoal. Como podem ver, não usufrui muito do estatuto.
Pois, no outro dia, tive de ir fazer novamente análises. Já não tinha o pipo de 10 litros comigo. Sabem quantas pessoas estavam à minha frente? Imaginam sequer? Não. Não era uma, nem duas, nem cinco, nem dez. Tinha exactamente doze pessoas à minha frente. Doze, minha gente. Se isto não é ter muito pouca sorte, não sei como se lhe pode chamar. Poças!


E o pior (mas também o melhor, claro está) disto tudo é que, enquanto grávida, tinha todo o tempo do mundo. Não havia ninguém à minha espera, melhor dizendo a depender totalmente de mim, para me sugar as mamas até ao tutano ser alimentada de x em x horas. Enquanto grávida, não tinha grandes responsabilidades. Enquanto grávida estava na boa. Bem podia esperar mais um tico para ser atendida que não morria ninguém. Mas não, uma grávida tem todas as prioridades e mais alguma. E uma mãe de recém-nascido, ou leva a criança com ela para tudo quanto é sítio, para ter direito a ser despachada com prioridade (e nem sempre isso acontece, muitas vezes, parece que a criança é invisível), ou fica, pior que estragada, à espera da sua maldita vez, porque sorte? Isso nem vê-la. Haja paciência!

17 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigadinha pela força, 'tá, ó Urso? E depois diz que é amigo... pffffff!

      Eliminar
    2. o pino, sim era disso era, beijinho...

      Eliminar
    3. Hein?! Mas que conversa é essa? Não cheguei lá. Agora só não sei se é do meu cansaço, que não deixa esta minha brilhante mente raciocinar como de costume ou então se és tu que está completamente taralhouco...

      Eliminar
    4. atalhei e ficou confuso...
      o mário lino disse jamais (daí a minha referência, como diria o outro :p) e chamas-te mentiroso e eu disse o lino (escrevi pino) sim esse era mentiroso, mas também ando um pouco isso ando...

      Eliminar
    5. Pois... se trocas os L's pelos P's, a coisa fica mais complicada. Põe "confuso" nisso, Urso! ;p
      Ai andas um pouco mentiroso... Shame on youuuuuuu, pá!
      Beijinho (esqueci de retribuir no comentário acima)

      Eliminar
    6. não era mentiroso era taralhoco :P xiça como diria a minha tia emprestada "je man fou" (não sei como se escreve mas deve ser parecido :))

      Eliminar
    7. Ah! Estavas a tentar ser solidário comigo. Pois, não tinha percebido. Antes taralhoco que metiroso, sem dúvida! ;p

      (é: je m'en fou ;D)

      Eliminar
    8. Então, mas, já agora, tens uma tia emprestada que é francesa e nunca me disseste nada...?

      Eliminar
  2. Afinal, ser grávida, é um privilégio. Por isso, não deixes arrefecer o forno :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahah! Calma aí, ND. Deixa crescer a bolachita mais um tico!
      Mas olha que já tenho saudades dessa fase. Gostei tanto.

      Eliminar
  3. olha que ainda um dia destes pensei o mesmo quando tinha uma série de pessoas à minha frente!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que eu digo, as mães de filhos pequenos deveriam ter também uma característica física distintiva qualquer. É que é muito chato ter de fazer fila quando temos pequenos seres a precisarem de nós em casa! ;)

      Eliminar