quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Da vontade ou da falta dela


Há mais ou menos umas duas semanitas (ou provavelmente até mais, o tempo nunca pára)  que passava por aqui sem aquela vontade que costumava ter. Aquela vontade que se tornara, a pouco e pouco, uma verdadeira necessidade. Há vários dias que publicava posts quase que por uma obrigação qualquer. Uma obrigação que, se pensarmos um tico, não existe de facto. E eu que não sou nada destas coisas de fazer porque tem de ser. Porque é suposto. Porque é o que os outros estão à espera de nós.
Percebi então que não fazia sentido passar por aqui só por já ser um hábito de há uns dez meses e meio para cá. Percebi que, se não me apetecia, não fazia sentido algum. E deixei de vir. 
 
Hoje, apeteceu-me. Só porque sim. Só porque me apetece escrever. E também porque me disseram que não vale desaparecer.
 
Segunda-feira, passei duas horas no Centro de Saúde. O médico espanhol que me atendeu - e que tinha um tique estranho e bastante incomodativo, quase aflitivo, para quem tem de olhar para ele - muito coçou o queixo com a mão direita. Nunca tinha visto uma situação daquelas (ou seja uma situação como a minha, claro está), desabafou. Achou melhor mandar-me para as urgências dos HUC. E lá escreveu uma carta com uma carrada de pontos de interrogação, com todas as maleitas, que, segundo ele, eu poderia ter, enumeradas. Passei lá mais de seis horas, nos HUC. Esperei mais de cinco horas e meia, numa sala cheia de gente com má cara, até ouvir finalmente o meu nome. O médico, jovem com um sorriso contagiante, era canhoto. Foram as primeiras características que apanhei, mal me sentei à sua frente. O sorriso e a mão esquerda a escrever. E foram essas mesmas características que me deram um pouco de alento para repetir, pela quarta vez naquele dia, a razão por estar naquela sala de espera, uma pulseira verde no pulso, há tantas horas.
 
Quando cheguei a casa e me deitei, já eram duas da manhã. E não dormi nada. Também não dormi na noite seguinte. A noite passada já foi melhorzita. Vamos lá ver se é desta que reponho o sono em dia.



nota 1: sempre achei aquela expressão do "as coisas só acontecem quando menos se espera" uma grande treta. Daqueles clichés tremendamente absurdos. E não é que tive de engolir em seco e dar a mão à palmatória?

nota 2: agradeço às quatro alminhas que manifestaram a sua preocupação pela minha ausência por aqui. Principalmente à equipa privada de salvamento, constituída por uma única pessoa, que já estava a postos para me dar assistência. A sério, aos quatro, muito obrigada mesmo.

nota 3: prometo que vou voltar aos blogues que costumava seguir diariamente. Hoje, talvez ainda não. Mas vou voltar. Preparem aí um docinho qualquer para receber, como deve de ser, a Mam'Zelle. Pode ser?

41 comentários:

  1. Pronto!! Agora fiquei triste...
    E eu que ía hoje perguntar o que se passava contigo, já não fui a tempo. (mas já estava a começar a ficar preocupada contigo)
    :(
    As melhoras... volta depressa.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens de ficar triste. Eu estou bem e isso é que importa :)
      Beijos

      Eliminar
  2. Mas afinal estás bem ? Animada? Eu também só escrevo no blog enquanto isso for uma necessidade para mim! Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Sabes... ontem ao final da tarde passei pelo centro comercial na Miguel Bombarda para ir pecar. Como sabes estou de dieta, mas sempre que tenho assim um desvario vou até lá e peço uma fatia de bolo de chocolate. A fatia é enorme. Aquilo devia ser proibido. E o bolo é realmente bom. E isto para dizer o quê? Que o sacana do bolo entranha-se-me no bigode, que eu só deixo de saber a chocolate para aí três horas depois. E vai dai, lembrei-me de ti. Vês... apesar do aparente pêlo na venta, as pessoas lembram-se de ti nas situações mais docinhas :)
    Bem vinda de volta e espero que esse episódio hospitalar esteja ultrapassado e que tenhas pedido factura ou, em alternativa, o contacto desse médico canhoto. Vai descansar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      Ainda não te disse que és um fixe, pois não, Roque? ;)
      Muito obrigada pelas tuas palavras. Sabes sempre usar as palavras/histórias certas para me fazer sorrir :D
      (não pedi nem uma coisa nem outra... fiz mal? ;p)

      Eliminar
  4. As melhoras :/, espero que seja algo passageiro! E não escrevas nunca por obrigação, porque ninguém te vai aí dar com o chicote :) Take your time!

    ResponderEliminar
  5. O bom disto é fazermos quando temos vontade. Quanto ao cliché, acho que há coisas de que nunca estamos à espera (até para podermos viver a nossa vida o mais desprendidos possíveis de problemas imaginários. Quando elas acontecem, é arregaçar as mangas. Força :) *

    ResponderEliminar
  6. Bem, eu como ando um pouco afastada destas lides nem me tinha apercebido da tua ausência (mil perdões). Mas está tudo bem?!?
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas qual mil perdões qual quê?!! Não te preocupes, Libelinha. Está tudo bem, sim.
      Beijinho!

      Eliminar
  7. Eu bem que tinha estranhado a tua ausência, mas pensei de mim para mim que andavas ocupada com alguma coisa ou com alguém e que não tinhas tempo e/ou vontade para a blogosfera. Nunca me passou pela cabeça que estivesses doentita.. Espero que esteja tudo bem contigo! Volta rápido e melhor que bem!! Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está tudo bem comigo, sim, NTW.
      Muito obrigada! Beijinhos

      Eliminar
  8. Eu não dei pela tua falta. Será porque não me fizeste falta nenhuma? ahahahahahahahahahah
    Olha, espero que estejas melhor. E fazes falta, sim senhor. Nem que seja por seres a única gaja de bigode no meu circulo de amigas virtuais (e no das de carne e osso eheh).
    As melhoraaaas! ;P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... não acredito que não te tenha feito falta, footstep... ;p
      Só faço falta por isso?!! pffff...
      Obrigadinha, mas não estou doente... ;p

      Eliminar
  9. Eu pensei que estavas a fazer um período sabático a brincar por outras paragens; que tivesses ido ter com as miúdas a Paris; sei lá, qualquer coisa do género...
    Tenho até um post guardado para ti, para quando tu decidisses voltar, e afinal...
    O QUE É QUE TU TENS? O QUE SE PASSA CONTIGO???
    DIIIIIIIIIIIZ!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui... ir ter com as miúdas a Paris é que era fixe!!
      Um post guardado para mim?!! É pá, agora fiquei super curiosa... assim não vale... :(
      NÃO TE PREOCUPES, SEXINHO. EU ESTOU BEM. A SÉRIO! :)

      Eliminar
  10. Porque mesmo não conhecendo vim para ficar, neste pequeno teu espaço que dia após dia dá-me mais gozo ler as 'parvoíces' que para aqui escreves...no bom sentido.
    Isto tudo para dizer...as melhoras e que esse bixo te largue depressa porque isto não pode ficar assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau. Obrigada pelas tuas palavras, Leitor. Muito obrigada mesmo!
      Eu estou bem. E vou tentar voltar exactamente com o mesmo pêlo na venta que tão bem me caracteriza... ;)

      Eliminar
  11. Andei meia ausente e chego aqui e leio isto...espero que te sintas muito melhor querida! Não sei que se passa, mas tenho a certeza que tudo vai passar! Abracinho grande *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Clementine! Estou bem. Outro abracinho grande para ti :)

      Eliminar
  12. Mau! Uma pessoa não pode ir arejar por uns tempos e, quando volta, anda tudo doente, batem em pessoas que andam no metro com cães sem bilhete, come-se cavalo por vaca e dança-se tipo ataque epiléptico porque é um viral qualquer?
    Vê lá se te pões bem e não te inquietes com as ausências blogosféricas. A partir do momento em que só vens porque te sentes obrigada, deixa de ter piada para ti e isso depois acaba por passar para nós. (Num queremos isso, melher!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ando doente, Rachelet. Também não me inquieto com as ausências blogosféricas. O que me inquietava era não perceber por que raio essa falta de vontade estava a acontecer. Mas está tudo bem e sei perfeitamente que ninguém chora baba e ranho se eu não aparecer! ;p

      Eliminar
  13. bem, mas o que é que se passa aqui afinal?!
    desaparecer? é preciso eu chatear-me? volta lá miúda, volta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai não! Por favor te peço, pastora, não te chateies!! ;)
      Já voltei! Talvez não com tanta assiduidade, mas não pretendo desaparecer de todo. Pelo menos, não por agora... :)

      Eliminar
  14. Pois... eu padeci desse mal do sentir que isto estava a tornar-se uma obrigaçao, mas a minha crise durou varios vezes a curar :P

    Nao sabia que estavas doentita, espero que esse Pelo na Venta se ponha bom rapidamente ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... pois... tu exageraste mesmo, Sue! ;p

      Estou bem, obrigada :)

      Beijinhos!

      Eliminar
  15. deve ser um vírus qualquer sazonal... eu ainda estou em convalescença :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que o teu vírus seja bem diferente do meu, pedro b... :)

      Eliminar