quinta-feira, 20 de abril de 2017

Diz que pela boca morre o peixe


Ora bem. 
Sempre achei uma fantochada de todo o tamanho aqueles posts a informarem o pessoal, com dias ou semanas de atraso, do aniversário de um determinado blogue.
Ai e tal, passou-me completamente ao lado.
Ai e tal, ando tão atarefado/a que quase nem tenho tempo para respirar.
Ai e tal, a minha vida é tão acelerada e preenchida que nem dei pelo dia chegar.

Para mim, eram tudo balelas. 
O blogger em questão não se esqueceu coisíssima nenhuma que o seu menino acabara de completar mais um ano de vida. Lembrava-se sim e muito bem. Agora, o certo é que é sempre bom mostrar um tico de distanciamento em relação a estas coisas. Confere um certo estatuto à pessoa dar a entender que tem coisas muito mais empolgantes para fazer do que se lembrar deste tipo de datas.

Eu nunca me esqueci.
Pensava nisso com, no mínimo, uma semanita de antecedência para criar um post diferente. Um post bonito. Um post comemorativo. E no dia em questão, sem qualquer tipo de atrasos, lá publicava o dito post.
Foi assim durante quatro anos.

Este ano, falhei. 
E tenho de engolir em seco.
Afinal, dá para esquecer mesmo.
Eu esqueci.

E não é por andar demasiado atarefada.
Não é por ter uma vida acelerada. Muito menos por ter uma vida preenchida. [ando insatisfeita, sim. mas, isso, já devem ter percebido os mais atentos.]
A verdade é que me passou completamente ao lado. Mesmo.
E porquê? Porque este blogue já não é o que era. Eu já não sou o que era. Tão somente isto.
E, pensando bem, talvez gostasse mais da Mam'Zelle daquela altura. Da Mam'Zelle que, ao longo de quatro anos, não deixou passar o dia dois de Abril em branco.

Parabéns, casebre, por estes teus cinco anos de existência. Apesar de tudo, ainda gosto bem de ti.

10 comentários:

  1. Muitos Parabéns... a ti, Mam!! :)

    Beijo em ti!
    (Os tempos mudam... e moldam...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai... muito obrigada, Eros. ;)

      Outro em ti!
      (e envelhecem... :p)

      Eliminar
  2. Com um com a sua, nunca liguei muito a isso das datas festivas nem na vida real, quanto mais, é o dia-a-dia.
    outros têm a pancada das contagens de posts, de visitas...
    mutatis mutandis, que seja para melhor e que sirva de aprendizagem, tudo de bom, beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uiii... noto um tico de desalento nestas tuas palavras. Espero estar enganada, Urso. :)
      É verdade, sim senhor.
      Mudar? Para melhor? Quem? Eu? Será que consigo? (ahahahahah! ;p)
      Beijo! E tudo de bom para ti também.

      Eliminar
    2. Se é desalento vem desde de muito pequeno, como dizia cada um com a sua (se bem que já vi que o blogger me comeu o "cada um"), não sei, festejo quando a outra pessoa não está à espera gosto mais e é menos cliché
      Depende de ti, também te podem ajudar, mas se um não quiser dançar :P
      igualmente

      Eliminar
  3. Eu não sei a data do aniversário do meu. Até a data de casamento falha... a de namoro não porque é no último dia do ano ahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma coisa é não saber a data. E, por isso mesmo, nunca se lembrar. Outra coisa é lembrar-se, como por milagre, sempre uns dias ou umas semanas depois...
      A sério? Não fixaste a data do casamento? Ai se o teu Ricardo lê isto... Vergonhoso!!
      ;p

      Eliminar
  4. Parabéns!
    Eu penso que faço parte de uma terceira categoria porque não celebro o aniversário e nem sei a data ao certo porque só comecei a escrever "a sério" uns bons meses depois de criar o blog.

    ResponderEliminar
  5. Parabéns e que continues aqui por muitos e longos anos!

    Beijo!

    ResponderEliminar
  6. Mam'Zelle,
    Assumo a minha irregular e trôpega memória - deixando, contudo, em abono da minha verdade, a ressalva de que guardo o desvio da regra. Onde quer que seja. Prefiro antecipar-me, a ter que deixá-la exposta em circunstâncias penosas. Logo, também com datas e com a dita do meu blogue em concreto, o desarranjo acontece. Nunca me lembro. Nem antes, nem durante, sequer depois.
    Agora, seguindo o teu raciocínio e assumindo que o esquecimento repete-se a cada ano, bem como, a lembrança posterior, talvez não estejas longe. Isso ou são opções comemorativas.
    É sempre um gosto ler-te, essa é a verdade. Seja quando for, e com que propósito nos chegue a tua prosa. E não é uma daquelas frases feitas que usamos para parabenizar alguém numa data importante. Ainda assim, aqui ficam os meus votos. Parabéns e continuação!

    ResponderEliminar