segunda-feira, 22 de abril de 2013

Podia me ter dado para pior


Tinha um naperon pousado na mesinha, frente à televisão. Esse naperon foi-me dado pela minha mãe, penso que quando vim para Portugal, já lá vão quase dezassete anos. Estava sempre ali com uma ou outra bugiganga decorativa por cima. A minha mãe é daquelas pessoas que, para, segundo ela, não estragar os móveis, coloca naperons em tudo quanto é sítio. Quando vim para Coimbra, herdei uma panóplia deles, para colocar nos meus móveis, obviamente. Ao mudar de apartamento, juntei os naperons todos, coloquei-os num saquinho de plástico e recambiei-os para casa dos meus pais, lá na terrinha. Mas guardei este. Porque era pequeno. Porque era mais delicado. Porque até tinha a sua graça. E lá foi ficando na mesinha. (Pensando nisso, sei que guardei outro, mais pequeno, pelos mesmos motivos. Já não se encontra em cima de nenhum móvel da casa. Deve estar arrumado numa gaveta qualquer. Agora dava-me jeito encontrá-lo.) No outro dia, fartei-me de o ver por ali. Peguei nele e atribui-lhe uma nova função, dando-lhe uma nova roupagem.

E deu nisto.




Sim. Era mesmo só isto.

20 comentários:

  1. E não é que tens jeito para a coisa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho jeito para tudo, Lírio. Ainda não chegaste lá...?! :p

      Eliminar
    2. Isso de jeito para tudo ainda tens de provar :P

      Eliminar
    3. Já não estou farta de dar por aqui provas?!!
      Injusta, pá! ;p

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Está difícil. Acho que só quando já nem me lembrar dele é que o encontro...

      Eliminar
  3. Agora, só te faltam as setas eheheheh

    (voltei ao público)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que falta de sensibilidade decorativa, ND... pffff!

      (bem, foi super rápido!)

      Eliminar
  4. Não me parece nada mal Mam'Zelle :D PS: Agora tenho uns brincos moustaches ^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 'brigada, Evazita! PS: também me ofereceram uns, há pouco :)

      Eliminar
  5. E não ficou tão giro? O que lhe escreveste? Esse napron é muito fora do vulgar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, R. :)
      Mas, como assim, o que lhe escrevi?

      Eliminar